Duas pessoas da mesma família são mortas com requintes de crueldade em Simões Filho


Crimes aconteceram no distrito de Otizeiro, que pertence ao bairro Góes Calmon, em Simões Filho. Vitimas eram cunhados.

Duas pessoas foram assassinadas com requintes de crueldade no bairro de Góes Calmon, em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador. De acordo com registros da Secretaria de Segurança Pública do Estado ( SSP-BA), os crimes aconteceram em um período de 24 horas, entre a manhã de quarta(26) e desta quinta-feira (27).

Comerciante morto dentro de casa

No primeiro caso, por volta das 05h de quarta-feira, 26, um comerciante de 50 anos  foi assassinado com golpes de faca na região do pescoço. Os criminosos surpreenderam a vítima, dentro da própria casa, e, na frente da mãe, efetuaram os golpes, matando Braz Valetim Júnior em um comodo da residência, que fica localizada na Rua Januário de Santana, no bairro Oitizeiro.

Para a reportagem do Fala Simões Filho, a polícia contou que o comerciante não tinha envolvimento com o tráfico de drogas, e está investigando o que poderia ter sido a motivação para o crime.

Vigilante assassinado em matagal

Após alguns dias de buscas, a polícia foi sinalizada de que havia um corpo do sexo masculino localizado em uma área vegetativa, ainda em Góes Calmon, em Simões Filho, na manhã desta quinta-feira (27). De acordo com as informações levantadas pela polícia, trata-se do  corpo do vigilante Carlos Muniz Ramalho, de 37 anos, que havia desaparecido desde terça-feira (25), quando foi visto pela última vez. A família informou que ele saiu de casa sem deixar pistas, ou seja, sem avisar para onde iria.

O que mais intriga os investigadores, nesse momento, é que o vigilante era era cunhado do comerciante Braz Valentim Santos Júnior, de 50 anos, assassinado dentro de casa, no distrito de Otizeiro.Carlos trabalhava como vigilante do Centro Educacional Santo Antônio (CESA), das Obras Sociais Irmã Dulce, localizado na Avenida Elmo Serejo de Farias, próximo a rotatória do Centro da cidade.

O corpo do vigilante apresentava perfurações provocadas por arma fogo. Ele foi localizado próximo ao campo de futebol, após a Escola Municipal Maria Correia.

A polícia ainda não sabe informar as motivações para os assassinatos dos cunhados, sendo ambos os casos registrados nas mesmas localidades. A Polícia Civil disse que vai ouvir familiares e populares, além de amigos de trabalho, para chegar até os autores dos crimes.

++ CONFIRA MAIS NOTÍCIAS DE SIMÕES FILHO